Escolha uma Página
Stefan_Vorwerk Horsch
Stefan Vorwerk, diretor industrial da HORSCH do Brasil
Presente no Brasil há cerca de sete anos, a fabricante alemã de equipamentos agrícolas HORSCH é cliente da HYDAC desde o início das operações das primeiras máquinas produzidas no país, em 2016. Com uma fábrica em Curitiba (PR) e uma rede de concessionários autorizados nos principais estados produtores do país e no Paraguai, a empresa anunciou, no início deste ano, um investimento de cerca de R$ 250 milhões na construção de uma nova fábrica na cidade. A unidade, que deve iniciar suas operações em 2023, terá capacidade de fabricar todas as linhas de produtos da HORSCH e será referência da sua atuação na América Latina.

Nesta entrevista exclusiva à HYDAC Info, o diretor industrial da HORSCH do Brasil, Stefan Vorwerk, comenta as suas expectativas em relação ao mercado brasileiro, além de destacar como a parceria com a HYDAC vem contribuindo para o desenvolvimento de produtos cada vez melhores.

No mercado agrícola, qual o foco de atuação da HORSCH?

Nosso foco são as operações de preparo de solo, plantio, semeadura, pulverização, agricultura híbrida, logística e inteligência. Somos reconhecidos por conta de um portfólio de produtos que combina alto padrão de qualidade e inovação tecnológica. Buscamos desenvolver produtos e soluções agrícolas que atendam realmente as necessidades do agricultor e, principalmente, que possam ajudar com os grandes desafios atuais, como obter maior produtividade, otimizar as operações no campo e ainda reduzir custos.

Como a parceria com a HYDAC vem contribuindo para o desenvolvimento dos projetos da HORSCH?

A HYDAC do Brasil tem se mostrado um importante parceiro tecnológico e de desenvolvimento para a HORSCH. Alguns itens são desenvolvidos exclusivamente para nossas máquinas e isso, associado ao nível de tecnologia dos nossos produtos, representa uma grande importância competitiva no mercado. Entre as linhas de produtos que adquirimos regularmente estão: blocos hidráulicos, válvulas hidráulicas (redutoras, alívio e outras), cartuchos hidráulicos, filtros, acumuladores e equipamentos de teste hidráulico.

Evidenciamos o alto nível de qualidade e confiabilidade dos produtos HYDAC, além da excelente e qualificada equipe de especialistas em hidráulica.

Stefan Vorwerk

diretor industrial, HORSCH do Brasil

Para o senhor, quais são os principais diferenciais da HYDAC perante a concorrência?

Dentre as principais características em relação à concorrência evidenciamos o alto nível de qualidade e confiabilidade dos produtos HYDAC, além da excelente e qualificada equipe de especialistas em hidráulica. É uma empresa que tem atendido nossos padrões de qualidade e tem se mostrado uma parceira nas mais diversas situações que demandam nossa linha de produção. Então temos muito a agradecer a toda a equipe pelo empenho e dedicação em nos atender.

Um dos projetos mais recentes que teve a participação da HYDAC foi a nacionalização do Pulverizador HORSCH Leeb VL. O senhor pode explicar quais os diferenciais deste equipamento?

O Pulverizador HORSCH Leeb VL é um equipamento autopropelido no setor de alta tecnologia, que pulveriza compostos líquidos (químico e biológico), com orientação agronômica, no formato de micropartículas sobre as plantas das lavouras. Seu objetivo é garantir a produtividade da lavoura, controlando pragas, doenças e ervas daninhas.

Por que a empresa decidiu nacionalizá-lo?

Para valorizar o nosso cliente! Sabemos que os efeitos da globalização têm nos proporcionado vários aspectos positivos, principalmente nos quesitos de desenvolvimento de tecnologias, transporte, comunicação, trocas comerciais, entre outros, e que facilmente resolveríamos as vendas com importações de produtos. Contudo, os efeitos de se ter uma fábrica local, próxima da realidade do cliente, com uma equipe preparada para as adversidades que possam surgir, com certeza fará a diferença no modelo de negócios de sucesso que nós acreditamos e temos em nosso plano de expansão.

Pulverizador_Hydac

O objetivo da HORSCH é ampliar o portfólio de soluções oferecidas para os agricultores brasileiros, e ajudar ainda mais no desenvolvimento do setor de agronegócios.

Stefan Vorwerk

diretor industrial, HORSCH do Brasil

Qual a sua expectativa de vendas para este produto?

O objetivo da HORSCH é ampliar o portfólio de soluções oferecidas para os agricultores brasileiros, e ajudar ainda mais no desenvolvimento deste setor de agronegócios. As expectativas de vendas são positivas e acompanham as curvas de crescimento do setor e de nossa estratégia de expansão interna. Como se trata de um produto que trabalha na mesma lavoura, entre 5 e 20 vezes mais que uma plantadeira, por exemplo, em função de operações recorrentes, existe também a oportunidade de fortalecer a área de pós-vendas de nossa rede de concessionários, no que tange o atendimento ao cliente e oferta de serviços de otimização da operação.

Falando em expansão, quais as suas expectativas para o mercado brasileiro? Afinal, estão investindo mais de R$ 250 milhões em uma nova fábrica!

A HORSCH acredita no potencial do mercado agrícola brasileiro, e também que podemos contribuir com o seu desenvolvimento. Os resultados em 2021 são positivos, e estamos muito otimistas com o crescimento da empresa no Brasil, não somente neste ano, como durante os próximos anos também. Sabemos que alguns setores têm sofrido com as consequências da pandemia. Se avaliarmos a composição atual do PIB brasileiro, por exemplo, o setor do agronegócio é o único que teve respostas positivas no acumulado dos últimos quatro trimestres, apresentando um crescimento de 1,5%, frente a números negativos dos grandes setores da indústria e de serviços, conforme dados do IBGE. A nova fábrica vem justamente nos preparar para o crescimento dos próximos anos.

Pulverizador Hydac

Qual a sua visão deste mercado nos próximos anos?

A visão é otimista! Se desconsiderarmos rapidamente as turbulências da pandemia, e ampliarmos um pouco o campo de visão, podemos perceber claramente alguns indicadores que demonstram a preocupação da população mundial com a qualidade de vida, o aumento do consumo de alimentos de qualidade, o aumento da exportação de alimentos, o aumento do consumo de combustíveis (etanol e biodiesel), o controle de estoques globais de commodities, e até mesmo como isso tudo está refletindo na Bolsa de Chicago — que atualmente controla os preços das principais commodities agrícolas. Isso faz com que o Brasil, ao lado de países como Estados Unidos e China, seja uma das maiores e mais relevantes potências do setor atualmente.